Redução de divisórias cria amplo living

Produtos de design assinado com descontos
2 de julho de 2015
Um microondas sem prato giratório
4 de agosto de 2015

Redução de divisórias cria amplo living

Apesar de sua grande simpatia pelo local, a construção necessitava de reforma para atender às novas exigências de moradia.

 

Depois de longa temporada na Itália, a primeira providência da arquiteta Dora de Luca ao voltar ao Brasil foi buscar um imóvel confortável para esta nova etapa da vida. Entre a chegada e a compra foram meses percorrendo a cidade, até que finalmente a profissional conseguiu encontrar um apartamento dos anos de 1950 de 240 m2, em Higienópolis, seu bairro preferido.

Mas, apesar de sua grande simpatia pelo local, a construção necessitava de reforma para atender às novas exigências de moradia. “A planta antiga era definida por ambientes sociais e íntimos compartimentados e cheios de portas”, explica. Depois de minuciosa análise junto de sua equipe, Dora de Luca definiu quais paredes poderiam ser eliminadas sem comprometer a parte estrutural, para que o novo layout se tornasse fluido.

 

1__MG_5220-HDR(3)

O amplo living tem toques de cor na parede principal, criando fundo para o móvel laranja da TV. Sobre o piso de taco de madeira original e restaurado com raspagem e resina, os móveis de época e modernos garimpados em brechós ganharam destaque.

 

A área social e a cozinha foram as partes que mais sofreram interferências. Duas salas deram origem a um amplo living com home theater e estar, delimitados apenas pela distribuição do mobiliário. Outra necessidade foi manter a maior quantidade de acabamentos originais e restaurar o que ainda era possível, como os tacos de madeira que revestem a maior parte do piso deste ambiente e também das áreas íntimas.

A arquiteta lembra ainda que toda a intervenção estrutural aconteceu simultaneamente à elaboração do projeto de interiores. “Como os móveis foram aparecendo de garimpos em antiquários antes e durante a obra, pude fazer um trabalho sincronizado de reforma e design de interiores”, diz. Muitas peças que compuseram o projeto foram herança de família. O jantar e a cozinha seguem o conceito de open space, pois como recebe amigos com frequência, foi a solução encontrada para tornar os encontros mais descontraídos, como se estivesse em uma casa.

 

Com altura de 3,20 metros, os janelões originais foram restaurados. Eles garantem a entrada abundante de luz nas áreas sociais filtrada pela cortina esvoaçante. A área do estar é definida pelos sofás Knoll e as cadeiras modernas, revestidas em tecido com temática tropical. Ao centro as duas mesinhas pé palito da mesma época compõem com a mesa de canto Saarinen. Para arrematar, o quadro de Gisela Motta e Leandro Lima – Xabori – e muitas plantas.

 

Por ser um imóvel antigo, a reforma também se deu em função da necessidade de se refazer as instalações elétrica e hidráulica, além do restauro dos janelões com 3,20 metros de altura, a mesma medida do pé-direito do apartamento. O desejo de Dora era manter a morada clara e bem iluminada. Por isso, partiu de uma base branca com o emprego de cores somente em detalhes, seja em algumas paredes, móveis ou objetos decorativos.

No dormitório principal Dora optou por manter a tranquilidade do branco como revestimento de paredes e armário preexistente, que também passou por restauro com aplicação de laca. O lavabo foge à regra. Com uma composição original, o tom amarelo intenso colore as paredes, enquanto as louças pretas ganham destaque junto ao ladrilho hidráulico preto e branco. Talvez uma sutil referência aos anos de 1970. Já o hall de entrada recebe os visitante com um grafite escandaloso, por Loro Verz. Pra lá de contemporâneo!

 

3_MG_5259-HDR(3)

A parede lateral que delimita um corredor que leva à cozinha foi recortada para embutir a estante com desenho de autoria de Dora, dando maior transparência ao ambiente.

 

4_MG_5262-HDR(3)

A entrada do jardim de inverno também leva ao jantar. Neste ambiente o vão foi mantido, somente a porta retirada.

 

5_Casas Bacanas49

Na área de jantar, mesa e cadeiras Saarinen originais compõem com a cristaleira garimpada em antiquário da região. O balcão para rápidas refeições, servido por dois bancos de Fernando Jaegger faz a integração com a cozinha.

 

5_Casas Bacanas67

Móveis da Florense e acabamento amadeirado compõe a cozinha.

 

6_Casas Bacanas73

Repare nos puxadores customizados com talher.

 

8_MG_5355-HDR(3)

O quarto de Dora preserva o armário original que foi restaurado e revestido com laca. A base branca faz fundo aos móveis em madeira e o oratório barroco herdado da família.

 

9_MG_5325-HDR(3)

O quarto da menina também se sobressai pela neutralidade dos tons claros, como rosa, adotado para a parede principal e enxoval.

 

10_MG_5313-HDR(3)

O lavabo recebeu amarelo intenso nas paredes, preto nas louças e grafismo nos ladrilhos hidráulicos, também em preto e branco.

 

11_MG_5307-HDR(3)

O hall de entrada é personalizado e surpreende quem chega ao imóvel, graças ao grafite desenvolvido por Loro Verz.

 

doradeluca

 

 

 

 

 

 

“O apartamento ganhou ares de casa ao mesclar peças de design a outras de brechós.”

Dora de Luca, arquiteta

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 

 

 

 

 

Por Nádia Fischer
Imagens Guilherme Marcato
Matéria Publicada em Revista Decorar 89

 

Faça o download do app Decorar e tenha acesso à todas as edições!