Projeto mostra que ambientes aconchegantes e bonitos podem ser funcionais

5 boas ideias que deixaram esse apê mais charmoso
21 de março de 2016
Para se adequar as necessidade dos moradores este apartamento mescla conforto e estilo
5 de abril de 2016

Funcional mas quente

Projeto mostra que ambientes aconchegantes e bonitos podem ser funcionais

 

 

O casal jovem, executivo do mercado financeiro, buscava um imóvel para atender às novas necessidades da família, que cresceu com a chegada de um filho, e encontraram uma casa no próprio condomínio onde moravam, em Tamboré.

O imóvel com dois pavimentos e 250 m² não poderia sofrer alterações na fachada por regras de condomínio – fator que limitou o trabalho da arquiteta Silvana Nogueira. Assim, ela focou nos ambientes internos e a funcionalidade de cada espaço foi sua maior preocupação.

 

A estante de freijó e as cortinas Hunter Douglas/Luxaflex dão o toque acolhedor a este living. Feita sob medida, a marcenaria embute a lareira e contempla nichos para objetos de decoração (Le Lis Blanc Casa, Maria Pia Casa e Breton), além de acomodar os equipamentos de áudio e vídeo. Uma das poltronas recebeu tecido listrado destacando-se com sutileza na composição de móveis.

A estante de freijó e as cortinas Hunter Douglas/Luxaflex dão o toque acolhedor a este living. Feita sob medida, a marcenaria embute a lareira e contempla nichos para objetos de decoração (Le Lis Blanc Casa, Maria Pia Casa e Breton), além de acomodar os equipamentos de áudio e vídeo. Uma das poltronas recebeu tecido listrado destacando-se com sutileza na composição de móveis.

 

A eliminação da varanda possibilitou a integração do living que agora é definido em áreas de estar e de jantar pelos pilares e pela disposição dos tapetes. Veja que a distribuição dos móveis deixa espaço livre para a circulação. A sanca de gesso contorna o ambiente embutindo a iluminação e também ajuda a setorizar as áreas. Para levar conforto, o tapete de algodão, lã de carneiro e sisal feito em tear recobre o piso de porcelanato (Portobello), escolhido para facilitar a manutenção.

A eliminação da varanda possibilitou a integração do living que agora é definido em áreas de estar e de jantar pelos pilares e pela disposição dos tapetes. Veja que a distribuição dos móveis deixa espaço livre para a circulação. A sanca de gesso contorna o ambiente embutindo a iluminação e também ajuda a setorizar as áreas. Para levar conforto, o tapete de algodão, lã de carneiro e sisal feito em tear recobre o piso de porcelanato (Portobello), escolhido para facilitar a manutenção.

 

O living ganhou uma lareira à lenha a fim de dar aconchego às reuniões familiares. A peça foi embutida na estante que acompanha toda a extensão de uma das paredes – nichos abrigam equipamentos eletrônicos, vasos, objetos de decoração e livros.

Além de criar áreas para armazenamento e exposição de objetos, neste projeto a marcenaria assume a função de unir os cômodos e dar identidade ao imóvel. No projeto predomina a madeira do tipo freijó, que aquece a morada, além de compor bem com os outros elementos – mobiliário, piso, tapete e cortinas, que vão de tons de bege ao marrom.

No jantar, a mesa tem tampo de vidro temperado, as cadeiras são revestidas de couro sintético marrom e linho verde. Para abrir espaço para louças, a escada agora acopla um armário e sustenta a bancada lateral que desliza sobre trilhos. Spots com lâmpadas dicroicas foram embutidos junto aos degraus garantindo segurança aos usuários.

No jantar, a mesa tem tampo de vidro temperado, as cadeiras são revestidas de couro sintético marrom e linho verde. Para abrir espaço para louças, a escada agora acopla um armário e sustenta a bancada lateral que desliza sobre trilhos. Spots com lâmpadas dicroicas foram embutidos junto aos degraus garantindo segurança aos usuários.

 

“A única obra de alvenaria que conseguimos fazer foi eliminar uma varanda de um metro e meio de largura que acompanhava toda a extensão da sala na planta original. Ela foi fechada com paredes de concreto, e o espaço serviu para aumentar a área de jantar”, conta Silvana.

Uma mesa para oito pessoas e generosa área de circulação foram pensados para receber com conforto os convidados – hábito que o casal pratica com frequência.

A escada original era de ferro e, de acordo com a arquiteta, não tinha relação com o resto da casa. Ela foi trocada por uma de concreto com revestimento em madeira e lateral de vidro. Para atender a um pedido dos moradores por armários, como o imóvel não possui despensa, na proposta de Silvana o vão sob os degraus foi preenchido com gavetas e uma prateleira que guardam louças e prataria.

 

 

O bloco da área gourmet sai do volume principal da casa como um braço do espaço de jantar fechado por panos de vidro de correr.

O bloco da área gourmet sai do volume principal da casa como um braço do espaço de jantar fechado por panos de vidro de correr.

 

O piso de toda a parte interna no térreo é de porcelanato em um tom claro de marrom que conversa com móveis e cortinas. Os cômodos superiores compõem uma área mais íntima e que, , para dar maior aconchego receberam assoalho de madeira cumaru – originária do Norte do Brasil e bastante resistente a cupins e fungos.

Com a reforma, um anexo gourmet foi construído nos fundos do terreno, onde originalmente havia um jardim. Feito de alvenaria e coberto por laje tradicional, ele é ligado à sala de jantar e tem portas de vidro de correr que fecham a passagem para a área externa.

 

O espaço gourmet relaciona-se com a área externa pelos panos de vidro. No fundo, a cozinha com marcenaria sob medida (Elgin), churrasqueira e forno à lenha para pizzas. Em primeiro plano, o lounge composto por poltronas e sofá que já pertenciam aos moradores, banquetas garden seat da Breton e tapete da by Kamy.

O espaço gourmet relaciona-se com a área externa pelos panos de vidro. No fundo, a cozinha com marcenaria sob medida (Elgin), churrasqueira e forno à lenha para pizzas. Em primeiro plano, o lounge composto por poltronas e sofá que já pertenciam aos moradores, banquetas garden seat da Breton e tapete da by Kamy.

 

Na suíte principal, a cama tem cabeceira alta que ganha destaque na decoração com iluminação especial – uma fita de led contorna a placa gerando luz indireta e charme ao ambiente.

 

Cabeceira alta revestida com papel de parede vinílico (Bucalo) dá destaque à cama no quarto principal. Criados em madeira clara foram desenhados pela arquiteta e abajures seguem a cartela de cores das áreas sociais. Cortina de linho da Casa Mineira é embutida no gesso do teto.

Cabeceira alta revestida com papel de parede vinílico (Bucalo) dá destaque à cama no quarto principal. Criados em madeira clara foram desenhados pela arquiteta e abajures seguem a cartela de cores das áreas sociais. Cortina de linho da Casa Mineira é embutida no gesso do teto.

 

Por Rafael Conti
Fotos: Adriana Barbosa
Matéria Publicada em Revista Decorar 96

 

Faça o download do app Decorar e tenha acesso à todas as edições!