Este apartamento dos anos 80 ganhou forma nas mãos da arquiteta Mayra Lopes

Cheio de personalidade e sem divisões
21 de março de 2016
Para se adequar as necessidade dos moradores este apartamento mescla conforto e estilo
5 de abril de 2016

Curva decisória

Este apartamento dos anos 80 ganhou forma nas mãos da arquiteta Mayra Lopes

 

A família formada por um casal de empresários e dois filhos contratou a arquiteta Mayra Lopes para personalizar o imóvel de 135 m2 recém-alugado onde habitaria por apenas três anos, pois deveria se mudar depois desse período por conta do trabalho como empresários. Além de ser uma morada provisória, a reforma deveria ser executada em apenas um mês, motivo que levou ao descarte de alterações estruturais e de alvenaria.

 

O living foi atualizado graças ao tapete em curva da Santa Mônica recortado in loco acompanhando o formato do forro original. No estar, o sofá revestido de seda imprime sofisticação e a chaise de couro Charles Eames (Breton) leva conforto para os momentos de leitura. Já no jantar, o piso de granito foi preservado, combinando com a madeira cumaru do bufê. Aqui, pinceladas sutis de amarelo aquecem o ambiente, presentes no nicho do móvel e no interior do pendente de metal.

O living foi atualizado graças ao tapete em curva da Santa Mônica recortado in loco acompanhando o formato do forro original. No estar, o sofá revestido de seda imprime sofisticação e a chaise de couro Charles Eames (Breton) leva conforto para os momentos de leitura. Já no jantar, o piso de granito foi preservado, combinando com a madeira cumaru do bufê. Aqui, pinceladas sutis de amarelo aquecem o ambiente, presentes no nicho do móvel e no interior do pendente de metal.

 

O apartamento original dos anos de 1980 ainda apresentava características da época, como o piso de granito na área social e a sanca curva de gesso. Para driblar esses detalhes datados e atualizar o projeto, a arquiteta teve a ideia de refletir o desenho do forro no piso por meio do tapete que precisou ser cortado in loco.

Os móveis retos e a chaise longue Charles Eames finalizaram a proposta. “O imóvel já tinha bastante informação, por isso inseri peças minimalistas para criar equilíbrio”, afirma.

 

Sobre de granito original do imóvel, a mesa branca em linhas retas (Breton) destaca-se. Repare que a madeira cumaru do bufê e da estrutura das cadeiras em courino harmoniza-se com elegância ao piso. A parede espelhada amplia o espaço que ganhou um pouco de verde com bambu-mossô em vaso.

Sobre de granito original do imóvel, a mesa branca em linhas retas (Breton) destaca-se. Repare que a madeira cumaru do bufê e da estrutura das cadeiras em courino harmoniza-se com elegância ao piso. A parede espelhada amplia o espaço que ganhou um pouco de verde com bambu-mossô em vaso.

 

As paredes do living receberam tinta branca, e na área do jantar uma das faces foi revestida de espelho, que aumenta a sensação de amplitude do ambiente. O mobiliário segue tons neutros, como branco, bege e a madeira. O amarelo, cor mais vibrante do espaço, aparece pontualmente no pendente sobre a mesa de refeições e no nicho do aparador.

Um dos 13 cômodos foi transformado no home theater com a marcenaria sob medida, de modo que as sessões de filmes e programas na TV fossem mais reservadas. O quarto do casal ganhou personalidade graças à cabeceira almofadada, à nova iluminação e às cortinas. Os armários embutidos originais da residência foram mantidos, sendo renovados com puxadores contemporâneos.

 

No home theater, o pórtico cumaru sustenta ao aparelho de TV e embute fita de led. O rack de MDF laqueado da Marcenaria Artesanal tem nichos abertos e gaveteiros para guardar os eletrônicos. O sofá com chaise (Breton) revestido de suede e o tapete (Santa Mônica) dão aconchego ao ambiente.

No home theater, o pórtico cumaru sustenta ao aparelho de TV e embute fita de led. O rack de MDF laqueado da Marcenaria Artesanal tem nichos abertos e gaveteiros para guardar os eletrônicos. O sofá com chaise (Breton) revestido de suede e o tapete (Santa Mônica) dão aconchego ao ambiente.

 

Para alegrar a copa, a solução foi recobrir a parede com um papel vinílico com a impressão de framboesas ampliadas. O assento vermelho das cadeiras na cor compõe com o revestimento. E a mesa com pés arqueados, segundo Mayra, faz alusão às formas da Catedral Metropolitana de Nossa Senhora Aparecida em Brasília, idealizada pelo arquiteto Oscar Niemeyer.

 

A copa é usada para refeições informais com uma das paredes revestida em papel vinílico impresso pela Tergoprint. A mesa (Clami) com pés arqueados de madeira é acompanhada por cadeiras de metal e acrílico e estofado de couro vermelho que combina com as framboesas da parede.

A copa é usada para refeições informais com uma das paredes revestida em papel vinílico impresso pela Tergoprint. A mesa (Clami) com pés arqueados de madeira é acompanhada por cadeiras de metal e acrílico e estofado de couro vermelho que combina com as framboesas da parede.

 

Outro desafio foi repaginar os banheiros mantendo as louças na cor marrom e o piso de granito. A cuba esculpida em marmoglass – um tipo de mármore produzido artificialmente – executada sob projeto na cor branca e o espelho com iluminação embutida de parede a parede que parece flutuar atualizam o espaço. O design de interiores atendeu as necessidades provisórias da família, com pinceladas contemporâneas que agradou a todos sem interferir no projeto original.

Como a esposa não gosta de muita luz, não há abajur sobre o seu criado-mudo, com a mesma altura da cama a fim de facilitar o manuseio de objetos pessoais durante a noite. Já o marido que não tem hábito de usar o móvel de cabeceira ganhou uma peça baixa que acomoda uma luminária.

 

No banheiro com piso de granito e vaso marrom originais, a cuba de marmoglass o papel de parede (Orlean) e o espelho com iluminação embutida criam uma composição atual.

No banheiro com piso de granito e vaso marrom originais, a cuba de marmoglass o papel de parede (Orlean) e o espelho com iluminação embutida criam uma composição atual.

 

O quarto de casal tem cabeceira de suede ocupando toda a parede. No lado feminino, o criado é mais alto para que a esposa acesse seus pertences com facilidade e como ela não aprecia luz, não tem luminária. Já do masculino, a peça é mais baixa e acomoda um abajur. Ao fundo, veja que os armários foram renovados com puxadores.

O quarto de casal tem cabeceira de suede ocupando toda a parede. No lado feminino, o criado é mais alto para que a esposa acesse seus pertences com facilidade e como ela não aprecia luz, não tem luminária. Já do masculino, a peça é mais baixa e acomoda um abajur. Ao fundo, veja que os armários foram renovados com puxadores.

 

Por Rafael Conti
Fotos Marcelo Scandaroli
Matéria Publicada em Revista Decorar 97

 

Faça o download do app Decorar e tenha acesso à todas as edições!