Por amor

Personalidade intensa!
5 de dezembro de 2016
Música, viagens e misticismo marcam o décor de apartamento
12 de dezembro de 2016

Por amor

Admirar a estética e o belo não é algo raro ou fora do comum, principalmente para um arquiteto

 

Admirar a estética e o belo não é algo raro ou fora do comum, principalmente para um arquiteto. No entanto, tal sentimento ganha proporções maiores e vai além do hobby para algumas pessoas, tornando-se um verdadeiro norte em suas vidas. É por essa paixão que sente pelas artes plásticas que, aos 15 anos, Marilene Torres escolheu a arquitetura como profissão, pois poderia dedicar-se integralmente ao desenho e aos espaços que tanto ama moldar.

 

A área gourmet, uma grande prioridade da proprietária que adora promover jantares, foi equipada para receber: ganhou churrasqueira, coifa, fogão, TV e a grande bancada de quartzo branco que se acopla à mesa de vidro. Para trazer mais aconchego, o piso de porcelanato simula madeira de demolição.

A área gourmet, uma grande prioridade da proprietária que adora promover jantares, foi equipada para receber: ganhou churrasqueira, coifa, fogão, TV e a grande bancada de quartzo branco que se acopla à mesa de vidro. Para trazer mais aconchego, o piso de porcelanato simula madeira de demolição.

 

Formada pela Universidade São Judas Tadeu, ela começou sua carreira como estagiária na área de planejamento urbano e habitação popular. “Foi nessa época que aprendi a transformação dos espaços e descobri por meio dela a satisfação de poder melhorar a vida dos outros, tanto do individual quanto do coletivo”, revela. Em 1997, dois anos após sua formatura ela abriu seu próprio escritório, em Santo André, que hoje toca 17 projetos e conta com quatro colaboradores.

 

O estar integrado à varanda gourmet recebeu persianas com tela solar da Luxaflex (Alamanda Home) para filtrar a luz natural.

O estar integrado à varanda gourmet recebeu persianas com tela solar da Luxaflex (Alamanda Home) para filtrar a luz natural.

 

A primeira entrevista que ela realiza com um cliente em potencial é uma conversa descontraída que não tem custo. “É importante saber seu estilo de vida, seus sonhos, necessidades, investimento estimado e o prazo esperado. Sobre mim, é essencial que ele conheça meu trabalho, fornecedores, parceiros e as etapas do projeto”, ressalta a arquiteta.

Além de estética, em seus projetos, Marilene pensa, é claro, em conforto e funcionalidade. Para alcançar essas qualidades, diz-se adepta dos tons claros e neutros como base, marcenaria, estofados aconchegantes, espelhos e materiais naturais ou que remetem ao natural como madeira, couros, pedras e tecidos.

 

Na sala de estar, as poltronas e o sofá são apoiadas por aparador e mesa de centro com rodízios com objetos da Archiforma

Na sala de estar, as poltronas e o sofá são apoiadas por aparador e mesa de centro com rodízios com objetos da Archiforma

 

As cores vivas não ficam de fora, mas aparecem em algum destaque ou detalhes. Definir seu estilo como atemporal é outra forma de a arquiteta dizer que adota, na verdade, uma fusão de referências.

“Meu estilo é aquele que vai atender os desejos e as necessidades do meu cliente aliado à minha experiência e ao meu desenho”, explica.

 

A cozinha, conectada à varanda, foi bem aproveitada com a marcenaria planejada da Florense, dando espaço até para o canto de apoio, criado com a mesa da cliente, restaurada com pintura.

A cozinha, conectada à varanda, foi bem aproveitada com a marcenaria planejada da Florense, dando espaço até para o canto de apoio, criado com a mesa da cliente, restaurada com pintura.

 

Muitas vezes também tal fusão se dá de forma quase natural, quando o cliente chega até o profissional já por se identificar com ele e ter as mesmas preferências. Foi exatamente pela afinidade que um jovem casal de empresários com duas filhas contratou Marilene para idealizar a reforma e o design de interiores deste apartamento novo de 230 m² em São Caetano do Sul. Como a esposa adora cozinhar e promover jantares, a arquiteta modificou o layout removendo alvenarias no living e integrando sala de estar, jantar, varanda e cozinha. Outra necessidade era criar muito espaço para armazenamento sem reduzir o visual amplo do imóvel.

 

Sóbrio e sereno, o quarto do casal destaca-se com o revestimento de parede (Alamanda Home) e a cabeceira da cama.

Sóbrio e sereno, o quarto do casal destaca-se com o revestimento de parede (Alamanda Home) e a cabeceira da cama.

 

“A maior satisfação é transformar os espaços e poder melhorar a qualidade de vida”

 

A profissional, que começou a carreira com arquitetura social, acabou descobrindo o seu talento para os interiores tempos depois, graças a sua grande paixão pelo desenho e a estética.

A profissional, que começou a carreira com arquitetura social, acabou descobrindo o seu talento para os interiores tempos depois, graças a sua grande paixão pelo desenho e a estética.

Perfil

Naturalidade: São Caetano do Sul
Formação: arquitetura e urbanismo na Universidade São Judas Tadeu (1995)
Tempo de atividade: 18 anos
Áreas de atuação: arquitetura, interiores, paisagismo e design
Regiões onde mais atuam: ABC, litoral paulista e Grande São Paulo
Número de colaboradores: 4
Estilo que adota: atemporal, básico, sofisticado e equilibrado
Atividades paralelas: adoro gastronomia
Desafios da profissão: transformar a vida do cliente e fazê-lo feliz no espaço projetado
Luxo é: ter bom design, sofisticação e qualidade em tudo
Morar bem é: ter sua identidade em sua casa, com conforto e simplicidade
O cliente ideal é: objetivo
Referências que pautam seu trabalho: história do local e seu entorno, as referências trazidas pelo cliente e as minhas coletadas em viagens e livros
Quatro características que definem seu trabalho: qualidade, conforto, elegância e ausência de excessos

 

Cores: principalmente tons claros e neutros, com cores vivas em destaques ou em detalhes. A escolha dessa cor vibrante depende do contexto
Um mobiliário: o italiano
Um revestimento: o natural
Uma obra de arte: as telas do artista plástico brasileiro Arcangelo Ianelli
Uma obra de arquitetura: The Glass House, de Philip Johnson, em Connecticut, nos Estados Unidos
Um ícone do ABC: a minha casa

 

 

Por Marina Sola
Fotos Éder Bruscagin
Matéria Publicada em Revista Decorar 105.

Faça o download do app Decorar e tenha acesso à todas as edições!