Victor Megido reflete sobre o Design de Serviços e afirma projetos repletos de humanidade

10 anos de Decorar
14 de novembro de 2017
destaque
Design! Design! Design!
2 de Janeiro de 2018
destaque

A pergunta de um milhão de dólares

 

 

 

Design

 

O que as pessoas querem? Há uma busca por novos espaços a serem explorados; um novo jeito de morar, trabalhar e interagir – se é que ainda é possível separar as coisas. E cada vez menos será! Diante disso, para além das respostas técnicas, os designers e demais profissionais da arquitetura e decoração precisam abraçar os sonhos e desejos dos seus clientes, que nada mais são do que pessoas em busca de felicidade.

 

Um tema que vem ganhando bastante destaque recentemente é o Design de Serviços. Empresas e profissionais autônomos estão cada vez mais conscientes de que o ser humano deve ser o centro de qualquer projeto. Um dos aspectos mais importantes do Design de Serviços é justamente o ambiente.

 

Criar, projetar e construir ambientes capazes de impulsionar a qualidade de vida e o bem-estar das pessoas que os utilizam é uma premissa e envolve aspectos como conforto, usabilidade, aproveitamento do espaço, iluminação, ventilação e identidade visual. Mas vai além! A abordagem do Design de Serviços pode contribuir muito para traduzir aspirações em ambientes surpreendentes.

 

Na prática, isso significa abraçar uma visão mais humanizada e entender que pessoas vêm antes de metragens, especificações e oportunidades de fornecedores. Significa dar foco e priorizar as relações e interações. Para isso, é preciso sair da zona de conforto e buscar uma conexão com as sensações e as emoções dos clientes – algo que ultrapassa qualquer tendência.

 

Propósito e empatia são duas palavras que estão se tornando centrais em todas as discussões de design, influenciando empresas e profissionais com negócios dos mais diferentes portes. Entenda o propósito de vida de seu cliente! Aí está a chave para projetos que gerem satisfação e tenham alto valor percebido. Esse processo só funciona pela empatia, ou seja, estabelecendo um diálogo mais profundo e sensível para enxergar o mundo pelos olhos do outro.

 

No fundo, o que todas as pessoas buscam, aqui e agora, é um pouco de paz e harmonia, um cantinho onde possam estar bem. A resposta para isso passa cada vez mais pela capacidade de interpretar o universo interior das pessoas e, a partir dessa escuta, criar projetos que representem identidades, conquistas, valores e tudo aquilo que mais valorizamos. É este o desafio!

 

 

Victor-1

 

Victor Megido é Diretor Geral do IED Brasil e organizador do livro “A Revolução do Design – conexões para o século XXI” (Editora Gente).

 

 

 

 

 

 

 

 

Por Decorar
Imagens Divulgação
Matéria Publicada em Revista Decorar 126.

 

Faça o download do app Decorar e tenha acesso à todas as edições!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *