A peça vintage e o universo do design industrial de Rapha Preto

destaque
Tendências para inspirar – o que rolou na Casa Cor 2017
9 de agosto de 2017
destaque
Novidades para o design
16 de agosto de 2017
destaque

RAPHA PRETO

 

 

O design industrial definitivamente está no radar dos  designers de interiores e arquitetos. Está também recebendo atenção especial de colecionadores de forma geral. O movimento começou por Nova York junto com a mudança de artistas, designers, artesãos e lojistas descolados do Soho para o Brooklyn.  Hoje, como uma das áreas mais ativas e celeiro criativo da cidade americana, transmite ao mundo suas vibrações.

 

O conceito de utilizar materiais de reuso não é nova. Colar, soldar, pregar, parafusar e fazer montagens  também não. Desde o século passado, artistas têm usado estes recursos para produzirem sua arte.

 

O novo é a supervalorização dos objetos industriais desgastados, seja para projetos de interiores, seja para compor coleções. Tornos, parafusos gigantes, engrenagens e outros objetos estão sendo colecionados ou utilizados como adornos. Algumas lojas têm se especializado no comércio de peças e mobiliário industriais usados.

 

raphapreto

 

O grande truque, no sentido positivo, é a peça ser vintage e ter um certo aspecto de usado. Outros argumentos criativos, produtivos e acessórios são somados às peças.  Atualmente, espaços retrô, tais como barbearias e bares, têm utilizado este conceito.  Já os colecionadores preferem peças únicas ou com tiragem muito reduzida.

 

Um dos novos destaques deste universo “industrial” é o jovem designer Raphael Preto – criado em uma fábrica de máquinas industriais fundada por seu bisavô, no bairro paulistano do Tatuapé. Desde criança, montava suas próprias traquitanas.  Desmontar rádios, TVs, panelas e outros objetos de uso doméstico era sua diversão predileta. Hoje tem um ateliê anexo à fábrica. Cortar o cordão umbilical, jamais… Os operadores do maquinário, o cheiro de óleo, as aparas, os sons das engrenagens, as tintas respingadas, tudo é inspiração.

 

Sua coleção atual tem o universo espacial, suas órbitas e os satélites como referência.  O espaço de Raphael está mais para uma experiência à la Blade Runner do que para referências setentistas, com suas cores  vibrantes e os metais. Couro, cobres, rebites, dobradiças e sanfonas metalizadas dão um tom underground e muito atual às suas criações. Acompanhe e invista…

 

 

 

Por Beto Cocenza, curador do BOOMSPDESIGN
Imagens Divulgação
Matéria Publicada em Revista Decorar 121.

 

Faça o download do app Decorar e tenha acesso à todas as edições!