Revestimentos naturais e tons claros garantem aconchego à projeto

DESTAQUE
Guia de Produtos São Paulo – CENTRO
15 de junho de 2017
DESTAQUE
Tons neutros clarearam e ampliaram esse projeto de estilo neoclássico
19 de junho de 2017

Por Marcela Millan

 

Diferentes alturas

Criar um mezanino e aproveitar o pé-direito duplo foi solução do escritório Rocha Andrade Arquitetura

 

 

projeto3

Destaque para a premiada poltrona Diz, de Sergio Rodrigues, toda em madeira, que traz personalidade ao living. Feitas de linho e muito leves, as cortinas deixam transparecer a vista exuberante.

 

É impossível não parar e admirar a vista desse apartamento duplex, aberto para o Parque Burle Marx. Com 250 m² e grandes esquadrias que a privilegiam, o imóvel encantou esse casal de advogados e seu filho adolescente, que desejava um novo lar espaçoso e que pudesse abrigar um escritório mais reservado, para uso do proprietário. Para isso, buscaram a arquiteta Cristina Rocha Andrade e a designer de interiores Patrícia Rocha, do escritório Rocha Andrade Arquitetura.

 

Para solucionar esse desejo, as irmãs e sócias optaram por projetar o escritório em um mezanino de estrutura metálica, criado sobre a sala de jantar – solução que o deixou recluso mas ainda assim integrado com as áreas sociais, por apresentar parapeito de vidro. “Outro desejo do casal era ter revestimentos que valorizassem os ambientes e trouxessem charme ao apartamento”, explicam as profissionais. Assim, elas adoraram uma decoração predominantemente natural, com fibras, madeira e linho, que conferem delicadeza e personalidade. Nos pisos, o porcelanato fosco foi escolhido, pela praticidade do material.

 

“Com porosidade quase nula, oferece conforto termoacústico, além de ótimo custo-benefício. Além disso, as placas de 1,20 x 0,60 m espalham a sensação de amplitude pelo apartamento”

 

12

Living e sala de jantar são integrados, sendo que no primeiro o pé-direito duplo foi ressaltado pelas grandes esquadrias e telas de Daniela Cortez. O mobiliário segue o mesmo tom das obras de arte, com sofás revestidos de linho que contrapõe com o couro da mesa de centro (ambos Artefacto) e mesa lateral turquesa laqueada (Brentwood). No mezanino encontra-se o escritório, recluso mas ainda assim próximo das áreas sociais.

 

Para reforçar ainda mais a ideia de amplitude, os ambientes sociais são integrados. No living, o pé-direito duplo de 2,55 m foi preservado e recebeu três telas de Daniela Cortez, que foram feitas exclusivamente para esse apartamento. As grandes esquadrias, que emolduram a vista do parque, oferecem fartura de luz natural. No jantar, por sua vez, as profissionais alocaram uma escada escultural que leva até o mezanino, feita de metal revestido de madeira, com pisadas de cumaru.

 

A área externa é extensão da área social e se interliga com ela por portas de correr, e o que seria originalmente uma varanda gourmet foi transformado em um espaço para a proprietária trabalhar e cuidar das plantas – seu hobbie. “Optamos por samambaias, peixinho, renda, dinheiro em penca. Ali, um nicho de porcelanato que imita a aparência de madeira as abriga”. A varanda também é espaço de relaxamento e recebeu chaises e uma mesa para refeições rápidas. “Esse espaço funciona praticamente como um adendo do Parque, muito confortável”, reforçam. Para mais conforto, ela foi equipada com telas solares. Todo o apartamento contou, ainda, com automatização, que engloba sonorização, climatização e iluminação, criando cenas para cada momento da família.

 

Revestimentos naturais e tons claros garantem aconchego ao apartamento

 

projeto4

Para contemplar a vista ou simplesmente relaxar, a varanda foi equipada com poltronas de fibra natural (Amazônia) e um tapete para áreas externas (by Kamy).

 

projeto5

Clara, a cozinha recebeu bancada do tipo ilha, que foi pensada para que a moradora pudesse preparar as refeições com a família e amigos a seu redor. Acoplada a ela, uma mesa de madeira de demolição.

 

 

projeto7

No quarto de hóspedes, a parede foi revestida com papel (Wallpaper) recebeu gravuras da Mona Lisa (Urban Arts).

 

 

 

 

 

“Os espaços precisavam de uma repagina

da para criar um ambiente funcional e com personalidade”

 

Cristina Rocha Andrade, arquiteta, e Patrícia Rocha, designer, do escritório Rocha Andrade Arquitetura.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Imagens Evelyn Muller

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *