O Pavilhão Vera Cruz após revitalização reativa seu DNA inicial: o cinema

Morar em: Miami
15 de junho de 2016
Teatro Municipal da Mooca Arthur Azevedo
27 de junho de 2016

Pavilhão Vera Cruz

O após revitalização reativa seu DNA inicial: o cinema

 

_MG_5652

 

Considerada um marco para o cinema brasileiro, a Companhia Cinematográfica Vera Cruz, que funcionou na década de 1950, foi fundada pelo produtor italiano Franco Zampari e pelo industrial Francisco Matarazzo Sobrinho. Tendo o primeiro estúdio com moldes profissionais no país, produziu mais de 40 filmes, como Caiçara, sua primeira produção e O Cangaceiro, premiado em Cannes.

No começo, os estúdios tinham uma estrutura de concreto e alvenaria de tijolo com somente 400 m², localizada no que antes era uma granja da família Matarazzo; hoje, a construção tem mais de 45 mil m² e abriga montagens de cenários para filmes publicitários, eventos como o Polo Design Show, feiras de diversas áreas e comporta o Centro Audiovisual, um espaço para formação de profissionais e divulgação de produtos do cinema, animação gráfica e televisão.

 

_MG_5686

 

Infelizmente, o sucesso durou pouco tempo, a companhia passou por problemas financeiros e foi entregue à Prefeitura de São Bernardo como pagamento de dívidas, fechando as portas em 1954; foi tombada ao final dos anos 1980.

Recentemente, a prefeitura da cidade entregou a gestão da companhia para a Telem AS (Técnicas Eletromecânicas), criando uma parceria privada que visa fazê-la voltar à ativa, com previsão de conclusão da primeira parte do projeto em 2016. “A gente está recuperando não só essa história, mas também fazendo com que a Vera Cruz volte a produzir”, conta Sérgio Martinelli, coordenador do Centro de Audiovisual de São Bernardo.

 

 

Por Mauricio Campos
Imagens Yghor Beviahn e divulgação
Matéria Publicada em Revista Decorar 102.

 

Faça o download do app Decorar e tenha acesso à todas as edições!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *